• Amigos fazem bêbado acreditar que ficou em coma durante 10 anos

    by  • 5 de February de 2014 • NA MÍDIA • 0 Comments

    A pessoa teve cinco passagens pela polícia por dirigir bêbado, até que, um dia, ao se embriagar e desmaiar, os amigos prepararam uma pegadinha educativa.

    Confira o vídeo:

    Saiba mais sobre os efeitos da bebida alcoólica na condução de veículos:

    É muito como escutarmos: o que o álcool faz?

    1. Diminui os reflexos…

    Se fosse só isso já não seria pouco, alterar reflexos de um condutor. Mas o álcool interfere, de tal maneira, que condena completamente, e de forma absoluta, o ato de dirigir sob seu efeito e em qualquer concentração.

    2. A Sobrevivência:

    O álcool afeta a sobrevivência dos envolvidos em um acidente de trânsito. Quanto mais a pessoa tiver bebido, maior sua chance de morrer, um mesmo impacto causa mais ferimentos numa pessoa que bebeu. O condutor não usa o cinto de segurança quando está alcoolizado. Os impactos, por razões médicas, fazem sobreviver menos aqueles que beberam mais antes de dirigir o veículo.

    3. A Performance:

    O consumo de álcool reduz a capacidade de percepção da velocidade e dos obstáculos. Reduz a habilidade de controlar o veículo, manter a trajetória, realizar curvas. Como se pode dirigir sem perceber a
    velocidade em que se está dirigindo? Como se pode dirigir sem visualizar os obstáculos? Reduz a  habilidade do controle da trajetória. Não consegue dirigir em linha reta, quanto mais realizar curvas.

    O álcool diminui a visão periférica, o condutor só enxerga o que está à sua frente; não enxerga o que está do lado, medicamente, denominada visão tubular.

    Não vê uma moto passando, um pedestre atravessando a via. Não consegue ter a atenção dividida, perceber a direção e outras necessidades para dirigir.

    O consumo do álcool, mesmo em baixas concentrações, aumenta o tempo de reação. Consumiu álcool, mesmo em baixa concentração, há prejuízo daquele tempo necessário para pisar no freio quando se vên um pedestre, uma moto, um obstáculo a sua frente.

    O comportamento do alcoolizado, todos sabemos, vai da euforia para a depressão, para a agressividade.

    O álcool causa sono, fadiga, estimula até tendência auto-destrutiva. Como uma pessoa, neste estado, pode dirigir?

    E, como consequência disto tudo, o álcool está presente no sangue de quase metade das vítimas fatais dos acidentes de trânsito.

    4. Evidências científicas?

    No Brasil, este fato foi muito bem documentado pelo estudo da Profa. Vilma Leyton, toxicologista da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, que constatou a prevalência do álcool em 43,95% das vítimas fatais dos acidentes de trânsito autopsiadas no Instituto Médico Legal do Estado de São Paulo. Evidência científica: não há o que se discutir.

    fonte: http://www.abramet.com.br/conteudos/artigos/medicos_de_trafego_representados_pela_abramet_defendem_a_lei_seca_no_tribunal_federal/

     

    About

    Pedagoga Especializada em Surdez e Psicoeducadora especializada em Teoria, Pesquisa e Intervenção em Luto.

    Leave a Reply

    Your email address will not be published.

    This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.