• “Trânsito que mata” série da Rede Record

    by  • 27 de November de 2012 • AGENDA, NA MÍDIA • 3 Comments

    Um brasileiro morre a cada 12 minutos vítima do trânsito, o Brasil ocupa o quarto lugar no ranking mundial de acidentes no trânsito e perde até 58 mil pessoas por ano vítimas de batidas.

    O número maior do que o de muitas guerras no mundo, indica que a cada dia mais de cem pessoas morrem em desastres.

    O Código Nacional de Trânsito com leis mais duras e a evolução da engenharia de tráfego não conseguem reduzir as tragédias.

    Assista no link abaixo a série que iniciou em 26 de novembro: http://noticias.r7.com/jornal-da-record/serie/transito-que-mata/

    About

    Pedagoga Especializada em Surdez e Psicoeducadora especializada em Teoria, Pesquisa e Intervenção em Luto.

    3 Responses to “Trânsito que mata” série da Rede Record

    1. Bruno
      6 de December de 2012 at 18:45

      “O Código Nacional de Trânsito com leis mais duras e a evolução da engenharia de tráfego não conseguem reduzir as tragédias.” – Então por que um “tolerância zero” iria adiantar ? Acham realmente necessário prender pessoas alcoolizadas ? Não temos presídios o suficiente para isso.
      E ainda me fica uma dúvida – embora eu não seja especialista em direito, mas ao ler as alterações sugeridas pela petição, percebo que a autoridade do trânsito pode avaliar a situação do motorista, o que para mim significa que qualquer autoridade pode parar qualquer um, dizer que o mesmo está embriagado e fazer o mesmo perder a carteira e ganhar um ano de prisão.

      Eu acho que vocês estão fazendo isso completamente errado. A solução, como sempre, é a conscientização através da educação. Basta voltar a frase que abriu esse comentário, vindo da própria matéria da Record para ver que leis mais duras não vão resolver o problema.

    2. Rosmary Mariano
      9 de December de 2012 at 21:16

      Bruno,
      Respeitamos sua opinião. Iremos conversar com nosso jurídico.

    3. 20 de December de 2012 at 8:11

      Prezado Bruno,

      A questão de aceitar o depoimento de uma autoridade de trânsito como prova para condenação de um condutor infrator(se ele acha que está sendo injustiçado na hora da avaliação), não exclui o direito deste mesmo condutor pedir para fazer o teste do bafômetro…. só que como uma contra-prova. As leis de trânsito são obsoletas e precisam mudar. Mata-se muito no trânsito. Concordo que precisa começar com a educação, mas isso leva tempo, uma geração inteira para mudar a consciência…. Dessa forma, a lei tem que ser aplicada imediatamente. Não podemos concordar com a situação atual. Perder um ente querido por irresponsabilidade de outro no trânsito nos causa muita dor e indignação.

    Leave a Reply

    Your email address will not be published.

    This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.